Procedimentos para devolução

AGENDAMENTO

  • Diretamente nas unidades de recebimento da ASSOCAMPOS
  • Pelo telefone de contato e agendamento –  (42) 3228-1148
  • Pelo Whats App – clique aqui;
  • Online (Central Ponta Grossa) – clique aqui;
  • No ato da entrega, apresentar a Nota Fiscal de compra ou Relatório de Devolução (solicitar estes documentos ao seu(s) fornecedor(es))
  • Não serão recebidas devoluções acima de 150 embalagens plásticas rígidas sem agendamento prévio

ABERTURA DAS EMBALAGENS

Um dos fatores fundamentais para a padronização das embalagens vazias de agrotóxicos é a correta abertura da mesma. Abaixo, pode-se visualizar o correto procedimento para abertura das embalagens e armazenagem do lacre de abertura da embalagem.


IMPORTANTE
– O rótulo da embalagem NÃO deve ser removido*
– NÃO remover totalmente o lacre metálico! A porção “colada” deve permanecer! (modelo abaixo)

EMBALAGENS LAVÁVEIS

São embalagens que podem (e devem) ser lavadas. São  embalagens plásticas ou metálicas. Normalmente possuem produtos que devem ser diluídos em água antes de serem pulverizados na lavoura.

A legislação brasileira determina que todas as embalagens rígidas de defensivos agrícolas devem ser submetidas a um processo de lavagem. Essa prática reduz os resquícios do produto na embalagem, impedindo que esses resíduos sequem e, assim, contaminem a própria embalagem. Além disso, os procedimentos de lavagem, quando realizadas durante a preparação da calda, garantem a utilização de todo o produto, evitando tanto o desperdício como a contaminação do meio ambiente.

Portanto, a lavagem é indispensável para a segurança do processo de destinação final das embalagens de defensivos agrícolas, sobretudo quando seguem para reciclagem. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) dispõe de uma norma específica (NBR 13968) sobre embalagens rígidas vazias de defensivos agrícolas, que estabelece os procedimentos adequados para sua lavagem:

IMPORTANTE:

  • A lavagem das embalagens laváveis deve ser realizada no momento da preparação da calda.
  • As embalagens NÃO devem ser lavadas posteriormente, NÃO deve ser “repassada” a lavagem sob hipótese alguma.
  • O acúmulo de pó na parte externa das embalagens é normal, desta forma NÃO é necessário  sob hipótese alguma efetuar a lavagem externa das embalagens.

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES PARA A DEVOLUÇÃO DAS EMBALAGENS LAVÁVEIS

Inutilizar obrigatoriamente estas embalagens – Recomenda-se cortar (conforme imagem ao lado) o fundo da embalagem facilitando desta forma a destinação de toda a água de lavagem (resíduo líquido) para o local (tanque do pulverizador ou bomba costal) onde a calda está sendo preparada.

Não devem ser enviadas tampadas ou dentro de caixas (enviar as tampas conforme imagens abaixo, não enviar nenhum outro tipo de embalagem ou material junto as tampas).

As tampas compõe as embalagens e devem OBRIGATÓRIAMENTE ser devolvidas.

SEPARAÇÃO

Enviar preferencialmente as embalagens em big bags, separadas por sua respectiva litragem:

EMBALAGENS NÃO LAVÁVEIS

As embalagens NÃO LAVÁVEIS são aquelas que não utilizam água como veículo de pulverização, além de todas as embalagens flexíveis e as embalagens secundárias. Estão nesse grupo sacos de plástico, de papel, metalizados, mistos ou feitos com outro material flexível; embalagens de produtos para tratamento de sementes; caixas de papelão, cartuchos de cartolina, fibrolatas e, ainda, embalagens termo moldáveis que acondicionam embalagens primárias e não entram em contato direto com as formulações de defensivos agrícolas.

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES PARA A DEVOLUÇÃO DAS EMBALAGENS NÃO LAVÁVEIS:

De acordo com a Resolução SEMA 57/2014 as embalagens não laváveis devem ser obrigatoriamente enviadas em sacos de resgate (com exceção dos produtos para fumigação (expurgo) e seus resíduos). Observação – acondicionar apenas o mesmo tipo de material não lavável em cada saco de resgate (não misturar)

  • Embalagens de fumigação (expurgo) – devem obrigatóriamente ser devolvidas desativadas (clique aqui para conhecer um procedimento de desativação – Bequisa) e acomodadas em embalagens homologadas para seu transporte e armazenagem (barricas de papelão ou plásticas)
    –  Fosfeto de alumínio ou magnésio – devem ser devolvidas totalmente vazias, destampadadas, furadas (exceção para as embalagens não laváveis) e acondicionadas em sacos de resgate
    – Saches – Devem ser desativados e acondicionados obrigatóriamente em barricas de papelão ou plásticas para devolução
  • EMBALAGENS DE TRATAMENTO DE SEMENTES – devem ser enviadas tampadas, NÃO devem ser lavadas ou perfuradas. E, devem obrigatoriamente conforme descrito anteriormente ser acomodadas em sacos de resgate. Observação – podem ser enviadas juntas, não precisam ser separadas por litragem.
  • EMBALAGENS FLEXÍVEIS – devem ser totalmente esvaziadas, e enviadas obrigatoriamente em sacos de resgate. Observação – podem ser enviadas juntas, não precisam ser separadas por volume.

EMBALAGENS NÃO LAVÁVEIS NÃO CONTAMINADAS

  • CAIXAS DE PAPELÃO – as caixas de papelão são embalagens secundárias que também devem ser devolvidas. São embalagens NÃO LAVÁVEIS NÃO CONTAMINADAS. Devem ser enviadas desmontadas, desta forma ocupam menor espaço no veículo para devolução (conforme imagem abaixo).

NÃO SERÃO RECEBIDOS

  • Embalagens contendo qualquer tipo de resíduo sólido em seu interior (que não seja agendamento específico para impróprios e/ou sobras).
  • Embalagens contendo qualquer tipo/quantidade de resíduo líquido em seu interior (que não seja agendamento específico para impróprios e/ou sobras).
  • Material de fumigação (expurgo) sem a correta armazenagem citada anteriormente.
  • Materiais não inerentes ao SCL – Sistema Campo Limpo. Ex: Embalagens de óleo lubrificante, EPI’s, outros.

ESTAS EMBALAGENS E/OU MATERIAIS SERÃO DEVOLVIDOS NO ATO AO RESPONSÁVEL PELA DEVOLUÇÃO!

RECEBIMENTO DE IMPRÓPRIOS E/OU SOBRAS

ESCOPO:

Fazem parte do escopo os resíduos (sobras) de agrotóxicos pós-consumo regularmente fabricados e comercializados, ou seja:

  • Agrotóxicos impróprios para uso: produtos registrados nos Órgãos Federais competentes com data de validade vencida, ou avaria que impossibilite seu uso.
  • Agrotóxicos em desuso: produtos cujo registro foi cancelado (sem ter o registro proibido), não tendo mais recomendação de uso.
  • Embalagens com sobra de agrotóxicos dentro da validade, caso o usuário (agricultor) tenha interesse em efetuar sua devolução.

NÃO PODEM SER RECEBIDOS:

  • Agrotóxicos falsificados, contrabandeados ou apreendidos por fiscalização ou roubo.
  • Agrotóxicos que venceram no canal de distribuição.
  • Quaisquer agrotóxicos com uso proibido por lei.
  • É permitido o recebimento de resíduos do canal de distribuição desde que se comprove fiscalmente que se tratam de resíduos pós-consumo devolvido pelos produtores rurais.